Rosane Machado
10/02/2020 11h41 - Atualizado em 10/02/2020 11h43

VOLTA ÀS AULAS

Coluna Rosane, 10/02/2020

VOLTA ÀS AULAS

           Quando eu era criança, gostava de voltar às aulas por conta do material escolar novinho. Não tínhamos dinheiro então o material era sempre o mais simples, mas nunca faltava nada.

            Eu não tinha o estojo de lápis de 36 cores (até com a tal cor de pele), porém tinha o de 12 que supria um pouco a necessidade. Também não tinha o jogo de canetinhas incrível, contudo tinha o menor, de 6, que também supria.

            As capas dos cadernos não eram como hoje com personagens e desenhos mirabolantes, todavia existiam as mais caras, os cadernos de capa dura com espiral. Brochura eram os mais modestos, porém estes tinham o Hino Nacional impresso pra que a gente soubesse direitinho na hora de cantar (eu adorava).

            A disputa pra hastear a bandeira era grande, a professora tinha seus critérios de escolha. Com o passar dos anos passou a ser 'pagação de  mico', porque quando a gente cresce a gente fica cheio de bobagens e vergonhas infundadas.

            O primeiro dia já era determinante porque a gente encontrava a galerinha do ano anterior e as panelinhas continuavam as mesmas. Tinha a turma das meninas que já tinham corpo desenvolvido, usavam calça jeans e todos os meninos as admiravam. Eu usava calça de tergal azul marinho, que era o uniforme, e lutava bravamente pra encontrar minha cintura todas as manhãs... sem êxito.

            Nunca fui uma aluna nota 10, sempre fui a aluna 'na média', e NUNCA gostei de exatas. Humanas sempre foi a minha praia e decorava textos de história como ninguém, sem contudo conseguir gravar as mal fadadas datas (números, sempre eles...).

            Geometria plana foi o ó do borogodó, mas quando chegou a espacial eu juro que vi um dos cavaleiros do Apocalipse gravado na primeira página do capítulo.  A coisa do volume me confundia... mas o pior era a Física... oremos.

            Química também não era o meu forte, mas passei a entender quando fiz pré-vestibular junto com o terceiro ano (que não era terceirão na minha época).  Aprendi  os maravilhosos 'macetes' que me salvaram de uma reprovação certeira.

            Uma das coisas que eu mais gostava era de desenhar mapas. Desenhava, coloria, encontrava as capitais (hoje não sei xongas) e aprendia a Geografia de locais que nunca fui e talvez nunca irei.

            O horário do recreio era celebrado porque havia merenda (estudei a vida toda em escola pública). Quando era sopa de fubá... meu Deus, eu entrava na fila vinte vezes (lembram do 'em busca da cintura perdida')?? Mas o macarrão com salsicha também era muito bem-vindo.

            Eu levava merenda sim, levava Nescau na garrafinha com waffer que era chamado de "Merendinha". Adorava as de limão. Hoje às vezes mato a saudade comendo waffer Araré.

            Pois bem, as aulas estão retornando. As férias grandes findaram. Hoje tenho muitas canetas coloridas e consigo adquirir os cadernos 'irados'. Estou na posição oposta: sou professora. Mas nem por isso deixei de me preparar e, mesmo assim, ter um certo friozinho na barriga pro primeiro dia.

Quer receber notícias pelo Whatsapp? Clique aqui

Fonte: Assessoria de Imprensa

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias