Rosane Machado
02/05/2017 10h07

A BUNDA DA KARDASHIAN E O EXCESSO DE NONSENSE

Foto: Metamorfose Digital

Nunca causou tanto furor uma foto na rede como a bunda de uma das Kardashian. Há algum tempo eu nem suspeitava quem fosse. Depois descobri que são ricos, famosos (pra mim não) e que tinham até um seriado na TV.

Entretanto, depois de tantas opiniões construtivas de experts no assunto, descobriu-se que, na verdade, não passava de uma foto montada. Imaginem se uma pessoa rica e bem nascida iria ostentar mais buracos em seu traseiro do que as crateras da lua.

Pego-me surpresa diante de tanta coisa que se torna relevante na rede. E uma postagem em que colocamos nossa opinião, pessoas que mal conhecemos nos julgam patéticos. Existe uma etiqueta na rede, contudo usuários fazem de conta que nem sabem o que é e se dão ao direito de, só por fazer parte de seu grupo 'virtual' de amizade, meterem o bedelho. Isto quando não vem torrar nosso sacrossanto saco no in box.

Temos de ter a opinião da maioria, temos de concordar com tudo e JAMAIS nos opor ao que é dito senso comum. Afinal, parece que a marcha dos pinguins não norteia apenas a moda, mas o pensamento.

Aturar os outros parece ser obrigação apenas nossa, já que os outros que igualmente desconhecem o que é tolerância e educação, não respeitam, por exemplo, você não gostar de frio. E se você posta alguma brincadeira a respeito, prepare-se: uma série de ofensas disfarçadas rechearão sua linha do tempo. E se um amigo seu for a seu favor, coitado...será execrado por alguém que se dá o poder de, além de criticar você, esculhambar com suas (verdadeiras) amizades.

Educação se traz de casa, não se adquire na escola. A vida nos ensina que a liberdade do outro começa onde a nossa termina, todavia tem gente que não aprende nem em casa, nem na escola e, tão pouco, na vida.

O mundo da intolerância vence as barreiras da democracia, porque ser democrático é concordar com os que te criticam, caso contrário, você quer é que o regime militar volte ao país. Peraí, e se tem gente que deseja isso, e daí? Cada um com seu cada um.

Se eu fosse fazer faxina na rede toda vez que alguém se vê no direito de discordar de mim, eu seria mais sem noção do que a própria pessoa.

A educação diz: leia. Caso contrário, nem curta. Ignore pra fazer bonito e não expor não apenas os seus pensamentos, mas o seu parco conhecimento da Língua Portuguesa.

Recomendadas para você

Outras notícias