Rosane Machado
22/09/2015 21h00 - Atualizado em 14/10/2015 11h33

BATOM

Antigamente eu não usava. Não me sentia mulher pra usar batom. Sei lá, uma coisa meio estranha, meio a ver com maturidade ou foco... Eu sempre associei o batom a algo importante, a usá-lo somente em momentos solenes ou se eu queria atrair olhares.

Hoje uso batom pra dar uma disfarçada justamente quando estou cansada. Como tenho uns lábios meio grossos e procuro, mesmo quando não é o momento, estar sorrindo, porque ninguém tem nada com os problemas da gente...uso o batom quando estou pra baixo.

Uma amiga disse que batons vermelhos deixam os dentes da gente mais brancos, tipo contraste, mas os outros tons podem deixá-los amarelados. 

Procuro o tal cor de boca e ainda não encontrei, pois mesmo sendo cor de boca, ele dá cor... e a gente vê que está com ele mesmo sendo ‘cor de boca’! É aquele que julgo prático e que vai do tênis ao salto alto... mesmo que eu nunca use salto.

Entretanto tenho a mania de querer combinar com o esmalte. Já disseram que estes combinadinhos não se usam mais... porém teimo em querer e achar que só porque estou com unhas rosa tenho de estar com um de mesmo tom. Fico certa de que o vermelho não combina em nada com isso. A roupa vermelha e o batom e unhas rosa? Mais uma vez digo: sei lá. Sinto-me estranha e meio alegoria carnavalesca...

Admiro por demais estas mulheres que conseguem se preocupar com os tons da maquiagem, descobrem e produzem toda uma engenharia pra que o lance pareça nada, mas na hora de tirar, os quilos de demaquilante revelam a genialidade da tal make.

O blush é o caso à parte. Eu não uso, porque uma pessoa certa vez disse que às vezes estas meninas em festas parecem ter levado ‘chineladas na cara’. Encontrei um pó mais escuro e aderi aos pincéis pra não me deixar com cara de zumbi... o menos que é mais. Grande sacada!

Sem falar do bbcream. Que grande descoberta! Que creminho ‘eurekiano’! Tudo numa mesma coisa, mas também devendo ser usado com parcimônia, com senso...se não...The Walkin Dead pela cidade, pela escola, pelos fóruns...e de tênis? Nossa, que coisa mais brega.

Que texto bem mulherzinha hoje, hein? Mas fiquei pensando no tal batom. Pensei em suas cores. Olhei no Google e vi que há infinitas como os esmaltes... Também vi uma pesquisa que diz que as brasileiras carregam , em média, dois em suas bolsas... Dei-me conta que eu também carrego... Olha, estou nas pesquisas! Talvez um acidente de percurso.

Mas o batom é o personagem de hoje... Mesmo que ele fique emplastrado porque falo demais. Mesmo que ele marque o copo, e que seu namorado não queira que você o beije com ele...

O tal batom causa... e o associo à Marylin Monroe sempre. Associo-o às divas do cinema antigo...nos filmes em preto e branco em que ele aparecia nos lábios das moçoilas e que estranhamente não saia nas bocas e rostos dos rapazes...

Pequeno cilindro com cores que deixam a gente uma deusa ou a filha do ‘capiroto’. Que podem acabar com uma maquiagem... ou com seu dia: quando você volta pra casa e percebe que o dente estava sujo e ninguém a avisou.

Recomendadas para você

Outras notícias