Rosane Machado
26/01/2015 00h00 - Atualizado em 14/10/2015 11h33

QUEM É FELIZ, NÃO ENCHE O SACO

Tenho um círculo de amizades, conhecidos, amigos reais e virtuais bem grande, graças a Deus e ao meu querido e inestimável Facebook. Já falei várias vezes que quando usamos de modo racional (e inteligente) as redes sociais, podemos conseguir várias coisas: parceiros de trabalho, amigos... E entre uma e outra olhadinha, vou acompanhando algumas pessoas.

                Tem aquelas que apenas cumprimentamos, curtimos, mandamos figurinhas... e há aquelas que seguimos mesmo. Tornam-se pessoas quase que da família. Sentimos falta quando não lemos algum post, não vemos uma foto... Também há as que saem do virtual e vem para o real, a melhor parte!

                Dentre tantas pessoas que conheço, tenho duas mais que especiais. A amizade com uma delas inclusive começou com um equívoco facebookiano, mas serviu pra aproximar a gente... Já acompanhei fatos delicados de saúde pessoal e familiar. Torcia declaradamente pra que tudo se resolvesse, orava em silêncio... Tenho a sorte de encontrá-las aos finais de semana e sempre por acaso, grato acaso. E são criaturinhas  que exercitam e demonstram seu amor uma pela outra. Meninas que enfrentam preconceito tosco, porque amor não se mede, amor não tem sexo, amor é amor.

                Tanto casal decanta seus sentimentos, posta fotinhos se beijando, abraçando. Tanto casal mostra troca de alianças, festinhas de noivado e todo mundo curte, porque a etiqueta manda, se não quem é amigo pode passar recibo de recalque... E elas? Nossa...Talvez por serem meninas (ah, podem me chamar de feminista, dane-se), expressam seus sentimentos de modo extremamente delicado e apaixonado.

                Entretanto, os falsos puritanos, os descrentes e ignorantes de plantão, que passam a vida com o rabo sentado numa cadeira invejando a felicidade alheia, criticam e ainda não acreditam que possa existir o amor. Sim, não falo do amor entre pessoas de mesmo sexo, sexo oposto... a questão é o amor em sua simples  e pura forma de ser.

                Quem achou o seu amor, quem encontrou alguém, não precisa se agarrar de unhas e dentes, porque o amor verdadeiro é aquele que se deixa livre e ficar de companhia. O amor é aquele que quer se mostrar sim. Assim como elas fazem.

Porque chega de compartilhar fotos de crianças mutiladas, animais torturados... Chega de só criticar e mostrar o lado podre de nossa política, de nossa sociedade que atira pedras e tem o caráter mais sujo que pau de galinheiro.                 Chega de buscar o defeito no outro e esquecer que se vemos tudo de modo tão triste e feio, é porque nossas lentes estão sujas... a falha , é nossa. Apenas nossa.

                Se alguém postou algo que você não gostou, tem um comportamento avesso ao que você julga correto, delete , exclua, bloqueie...  Ficar enviando recadinhos in box é tão pequeno...lembra-me aquelas vizinhas fofoqueiras de novelas...           

Na real... quem é bem resolvido, curte, e até compartilha. Ou apenas lê e fim.

Na real, quem é feliz, não enche o saco.

Os textos dos Blogs são opinativos e de responsabilidade dos autores. Não significa que a opinião expressada por eles seja a mesma do Grupo W3.

Recomendadas para você

Outras notícias