O Boi de Mamão da Casa da Fraternidade se apresentou fora da instituição pela primeira vez durante o 5º Encontro de Boi de Mamão da Unesc. O trabalho foi resgatado ao longo do último ano e em agosto dançou ao público pela primeira vez na Casa da Fraternidade. Agora a cultura foi expandida.

Conforme a presidente da Casa da Fraternidade, Cátia Hahn, tudo começou quando há um ano o projeto ‘Boi de Mamão na comunidade’ da Unesc, assumiu a tarefa de resgatar um boi de mamão que estava danificado e parado na Casa da Fraternidade desde o falecimento do professor Alex Gomes.

“Ao longo deste último ano, tanto na Universidade, quanto na Casa da Fraternidade muita coisa aconteceu. Sob a orientação da professora Lenita e da professora Silemar foram muitos encontros, reformas, pesquisas, aprendizados, e com o grupo de bolsistas da universidade foi se costurando, restaurando e ressuscitando o Boi da Casa da Fraternidade. Na Casa as crianças assistiam vídeos das apresentações, desenhavam, confeccionavam miniaturas, cantavam, mas o que elas queriam mesmo era ver um boi dançar...”, descreve Cátia.

Nos últimos meses enquanto na Unesc a bolsista Barbara com ajuda dos outros bolsistas faziam as cabeças, na Casa, a Cátia com ajuda da Leia e do Vinicius e das mães e meninas do artesanato iniciaram os corpos dos bichos e figurinos, personagens, estandarte, até que com um mutirão, que aconteceu dia 17 de agosto, o Boi de Mamão da Casa da Fraternidade voltou a dançar.

Segundo Cátia, o encontro na Unesc foi a primeira apresentação do Boi de Mamão fora da Casa da Fraternidade. “E mais uma vez vimos a esperança e a alegria nos olhos de nossas crianças. O Grupo Boi de Mamão da Casa da Fraternidade foi selecionado no Edital Elisabete Anderle e deverá realizar um intercâmbio em Florianópolis com o Grupo Arreda Boi no ano de 2020. Agradecemos a Unesc a oportunidade de participar deste encontro maravilhoso, e pela parceria neste projeto”.

 

Fonte: Assessoria de Imprensa