Após o Tribunal de Contas suspender a licitação que escolheria a nova empresa responsável pelo estacionamento rotativo, achar uma vaga na área central do município não tem sido uma tarefa fácil.

O estacionamento não preocupa só a população, mas também os lojistas, principalmente no fim do ano, época em que o comércio recebe um fluxo maior de pessoas. “A gente espera o ano inteiro o Natal e nos preocupa o fato de nossos clientes não ter onde estacionar. Atualmente, o Centro se encontra um caos e preocupados com isso, nós pedimos por uma reunião com o secretário de Planejamento, Francisco Diello e com o prefeito Mariano. Lá foi sugerido a criação de uma medida provisória, o município ficaria responsável pelo estacionamento rotativo temporariamente até que o processo de licitação ocorra e uma nova empresa seja contratada”, salienta Diane Scaini, membro da diretoria da CDL.

Na segunda-feira, 11, foi aprovado pela Câmara de Vereadores um projeto de lei complementar que autoriza o município a contratar até 30 monitoras temporariamente - por até dois anos. A contratação destas monitoras será feita através de um processo seletivo simplificado e elas serão coordenadas pelo secretaria de Trânsito do município. É o que explica secretário de Planejamento, Industria e Comércio, Francisco Diello.

Devido ao curto prazo para a implementação, o estacionamento funcionará através dos cartões raspadinhas, nos mesmos moldes da Sermog, antiga empresa reponsável. 

Entenda a polêmica envolvendo o estacionamento rotativo de Araranguá

Ainda sem um prazo para que o estacionamento rotativo volte a funcionar, o secretário diz que a intenção é para que tudo se normalize dentro de um mês. “Isso vai depender do processo seletivo, ele pode levar entre 10 e 15 dias. Será feita a avalição, contração, treinamento e então elas poderão operar. Não posso prometer, mas se tudo ocorrer como planejando, dentro de 25 dias o estacionamento estará funcionando em pleno vapor”, finaliza.