O estacionamento rotativo de Araranguá está funcionando desde outubro de 2014. Nestes cincos anos de serviços prestados, diversas polêmicas foram criadas em volta do modelo utilizado pela Sermog - empresa responsável pelo funcionamento. Seja o modo de venda dos cartões ou a validação das multas dadas pelas “amarelinhas”, já se tornou comum ver araranguaenses fazendo críticas ao rotativo.

Na próxima semana, no dia 4 de outubro, o contrato com a Sermog se encerra. A data para a abertura do envelope que traria o nome da nova responsável, seria nesta sexta-feira, 27, porém a decisão do Tribunal de Contas é que a licitação seja suspensa. Através da denúncia de uma das empresas que participou do processo de licitação, a Justiça tomou conhecimento de algumas irregularidades no edital realizado pela administração de Araranguá. 13 delas foram acatadas pelo Tribunal de Contas, dentre elas: exigência excessiva de qualificação técnica, ausência de orçamento na forma de fluxo de caixa, ausência de discriminação individual dos salários e encargos e equívoco na definição do prazo de implantação do estacionamento rotativo.

Durante este período de espera, até que se regule um novo edital dentro dos moldes exigidos pelo Tribunal, as vagas não terão qualquer tipo de monitoramento. O estacionamento terá livre acesso aos moradores e visitantes. Até então, o único prazo estipulado, é que após a definição da empresa ganhadora, a responsável terá 30 dias para implantar o novo sistema. Mas ainda não há previsão para uma nova licitação.

Segundo a nota oficial publicada pelo secretário de Planejamento, Industria e Comércio, Francisco Diello de Souza, algumas exigências podem ser revistas, mas há requisitos fundamentais para um funcionamento mais eficiente. “Compete-nos, agora, demonstrar que, ao nosso entender, essas exigências são necessárias para o melhor interesse público, permitindo assim, que a empresa vencedora possa executar o contrato da melhor forma para o bom funcionamento do Estacionamento Rotativo de Araranguá”.

Futuro

Em entrevista ao Grupo W3, Diello afirma que um dos focos da administração com este edital, foi garantir um sistema mais prático e moderno à população. “A nova gestão do estacionamento rotativo terá que ser feita por uma empresa que funcione no digital, com mais tecnologia. Pretendemos trocar cartões por aplicativos, gerando mais praticidade aos usuários”, finaliza.