Na manhã desta quarta-feira, 21, o biólogo da Agência de Saúde de Araranguá, Fábio Pereira Sabino levou até a Unidade Central de Saúde Bom Pastor, mais precisamente na Coordenadoria da Vigilância Epidemiológica do município, amostras das vísceras colhidas de um macaco encontrado morto, nesta terça-feira, 20, no Morro Azul no bairro Urussanguinha.

Fábio cumpriu os procedimentos protocolares junto com a coordenadora da Vigilância a enfermeira Cláudia Bertoncini Zanette. Documentos com todos os dados referentes ao animal encontrado foram enviados ao LACEN, Laboratório Central de Saúde Pública, com sede em Florianópolis.

Após exames o laboratório divulgará num prazo de até trinta dias a causa da morte do primata. Este é o primeiro macaco encontrado morto no município neste período de febre amarela no município.

Segundo a enfermeira Cláudia, a recomendação é de que as pessoas que residam num raio de 300 metros nesta região que procurem nas Unidades de Saúde a vacina contra a febre amarela. “A coleta vai para o LACEN e pode ser febre amarela, mas independente do resultado e como o vírus já circula aqui no estado, a nossa preocupação é em relação à doença, por isso é importante as pessoas façam a vacina”, destacou.

Em Santa Catarina duas pessoas morreram em decorrência da febre amarela, uma em Joinville e outra em Itaiópolis. No estado já morreram três macacos infectados.

A febre amarela é uma doença infecciosa provocada através da picada de mosquito infectado por seu vírus. Nas regiões de mata, os insetos dos gêneros Haemagogus ou Sabethes picam macacos com a doença e, então, podem passá-la a seres humanos nas redondezas.

Devem ser vacinadas crianças acima de nove meses e adultos de até 59 anos 11 meses e 29 dias. Mais informações procure a Unidade de Saúde mais próxima da sua casa. Não esqueça de levar a Carteira de Vacinação e o Cartão SUS.

Fonte: Assessoria de Imprensa