A semana inicia com polêmica na Cidade das Avenidas. Diante da previsão orçamentária para 2019, apresentada pela administração municipal, o vereador Igor Batista Gomes utilizou as redes sociais para criticar alguns gastos previstos para o próximo ano, entre eles, os mais de R$ 1 milhão com divulgações legais na mídia.

Em sua postagem, o vereador afirma já ter criticado os investimentos feitos pelo paço municipal com a imprensa anteriormente, o que teria lhe rendido duras críticas por parte dos meios de comunicação. “Ano passado, fui atacado por uma parcela mídia, por denunciar a queima de dinheiro público com as divulgações de atos legais, as publicações da prefeitura em diversas mídias. Embora sei que serei novamente atacado por essa mesma parcela da mídia, estou aqui para comunicar, que Araranguá destinou em seu frágil orçamento, quase R$ 1 milhão de reais para essa causa! A carreira de professor é destruída com o argumento de poupar recurso, mas para as "divulgações" sobra verba”, destaca.

Segundo ele, de todas as áreas do governo, apenas as Divulgações Legais na Mídia, o orçamento do Samae e da Câmara de Vereadores aumentaram. “Não aceitando essa situação, denuncio aos meus conterrâneos e conterrâneas, que nosso dinheiro não está sendo investido de forma estratégica e pensando no futuro da cidade. Isso equivale a 2.630 reais gasto por dia em divulgação legal na mídia - dinheiro suficiente para comprar 12 a 13 viaturas para nossas polícias em um ano, construir uma creche, um posto de saúde ou então quase triplicar o orçamento para o turismo. Lembrando que a prefeitura já tem sites e perfis em redes sociais, custeados com dinheiro público, para fazer essas publicações”, afirma.

Como alternativa para a utilização do dinheiro público, o vereador propõe 12 substituições. Entre elas, a retirada de R$ 200 mil da Divulgação de Atos Legais para direcionar ao apoio de Startups, impulsionando empreendedores de tecnologia da cidade. Além da retirada de R$ 180 mil da Divulgação de Atos Legais para o direcionamento ao programa de merenda escolar, entre outras. “Estas mesmas sugestões foram feitas na votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias, que é uma prévia do orçamento, mas foram rejeitadas por 12 vereadores”, destaca.

Em suas redes sociais, o vereador questiona a população. “Povo de Araranguá: até quando vamos aceitar essa decisão absurda de enterrar verba pública em áreas desnecessárias, enquanto as que realmente precisam, estão abandonadas, sucateadas? Vou novamente ser atacado por parte da mídia que já constantemente me ataca, mas nunca, vou me omitir de decisões absurdas como essa do senhor prefeito. Podem falar mal de mim, parte da mídia. Pois a opinião que me importa é dos meus eleitores e eleitoras, e da população de Araranguá!”, finaliza.

Sem contato
A reportagem do Grupo W3 tenta contato com o vereador desde a última quinta-feira, 1, para obter maiores detalhes sobre o tema, porém não obteve sucesso.

Fonte: Arte: Michelle Oyah