A sessão do último dia 5, serviu para que a secretária de Saúde, Evelyn Elias, prestasse contas dos trabalhos realizados na pasta. Todos os anos, ela apresenta um relatório detalhado aos vereadores, e se comprometeu com isso até o final do mandato. “Precisamos mantê-los informados das nossas ações e contar com o apoio de cada um para melhorar cada vez mais a Saúde da nossa população”, disse.

De acordo com Evelyn, neste ano foram aplicados pelo município mais de 18% do orçamento em Saúde, em torno de R$24 milhões até o momento. A lei exige que sejam destinados 15%. Os números também apontaram que a pasta atua com menos servidores que 2017, quando eram lotados na secretaria 405 profissionais, enquanto que neste ano, somam 341 profissionais, gerando menos gastos com a folha de pagamento.

Além das 16 unidades de Saúde existentes, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) merece destaque. Mantida pelo município, a UPA atende em torno de 70% de pacientes de Araranguá e 30% dos outros municípios da Amesc. Só no primeiro semestre foram realizados 38 mil atendimentos médicos na rede municipal, enquanto que em 2017, cerca de 46 mil. Todas as unidades contam com sistema informatizado e os investimentos em laboratório permitiram que não haja mais fila de espera para a realização de exames em toda a rede.

Os vereadores compararam os números e receberam relatórios estatísticos que ficaram arquivados na Câmara. “Importante que tenhamos acesso a estas informações para também informar a população sobre a forma como a Saúde vem sendo tratada. Percebo que com empenho, dedicação e apoio de todos, bons serviços podem ser oferecidos”, disse o presidente, Daniel Viriato Afonso, que encabeçou no ano passado o projeto “Câmara Solidária” que com a economia realizada com cortes de diárias e outros benefícios recursos foram revertidos para zerar filas na Saúde.

Cirurgia bariátrica no HRA

Ainda durante a sessão, a secretária, Evelyn, informou os vereadores que o Governo do Estado, comunicou à secretaria que a primeira cirurgia de alta complexidade será liberada no Hospital Regional de Araranguá. “Recebi uma ligação do governo me dizendo que a primeira especialidade será cirurgia bariátrica. Já e um avanço e estamos felizes com a notícia”, completou.

Fonte: Morgana Daniel