De autoria do vereador Igor Batista Gomes o projeto de lei que denomina “Professora Olga Maria Hubbe Pacheco”, a atual Avenida 04, no Loteamento Diamante do Vale, no bairro, Caverazinho, foi aprovado na sessão desta quarta, 20, na Câmara de Vereadores de Araranguá. Este é o primeiro projeto com indicação de nome de rua pelo vereador. “Desde que sou criança ouço as histórias da Dona Olguinha. Me sinto honrado em fazer esta homenagem. A família Pacheco leva o nome da cidade de Araranguá e nos orgulha muito. Dona Olguinha faz parte da história da Educação da nossa cidade”, comentou.

Participaram da sessão, dois dos dez filhos da saudosa professora, pessoa extremamente conhecida na região. “Minha mãe dedicou cinquenta anos à Educação. Muitas gerações de araranguaenses passaram pelas suas mãos, e sabemos que a Educação é a ferramenta mais importante para uma vida melhor dos cidadãos, por isso, a homenagem nos deixa muito orgulhosos”, agradeceu, Alceu Pacheco, um dos seus filhos que falou em nome da família.

História de D. Olguinha Pacheco

Olga Maria Hübbe Pacheco nasceu em sete de novembro de 1930, na cidade de Urussanga, Santa Catarina, filha de Andréas Hübbe e Izabel da Silva Flores Hübbe. No ano de 1934 fixou residência em Araranguá, em razão de seu pai ter sido nomeado 2º tabelião e sua mãe, concomitantemente assumindo como professora na Escola Isolada de Araranguá. Fez os cursos primários e ginasial do grupo escolar David do Amaral, em Araranguá. Também cursou o científico e o normal no Internato Coração de Jesus, em Florianópolis. Iniciou a carreira como professora no grupo escolar Castro Alves, em Araranguá, no ano de 1949; pela manhã no curso primário e à tarde, no curso regional Virgínia Borges Coral, dedicado à formação de professores na disciplina de matemática. Casou-se com Waldemar Pacheco em sete de janeiro de 1950, o qual, hoje, é aposentado como oficial de registro civil da Comarca de Araranguá. Juntos tiveram 10 filhos: Cláudio José (in memoriam), Carlos Alberto, Claudette Maria, Alceu André, Miriam Beatriz, Waldemar Júnior, Regina Maria, José Carlos, Paulo César e Alexandre Augusto. Nos anos seguintes, especializou-se em português e passou a lecionar também no curso ginasial. Ainda fez curso de pintura na Escola Profissional Kirana Lacerda, produzindo diversas obras. Também foi professora no ginásio do colégio Nossa Senhora Mãe dos Homens, das disciplinas de português e matemática, além da OESC (atual CEJA, Centro Educacional de Jovens e Adultos). Depois de aposentada no magistério, mais de trinta anos em sala de aula, contribuindo na formação de algumas gerações de araranguaenses, assumiu a Secretaria Executiva do Colégio Estadual de Araranguá por seis anos. Durante muitos anos ministrou aulas particulares de reforço e orientou monografias e trabalhos de conclusão de cursos do ensino médio e superior. Entre 1958 e a década de 1990 foi membro da Casa da Amizade, tendo sido presidente da instituição, vinculada ao Rotary Club International, em que participou de inúmeras campanhas comunitárias e trabalhos de beneficência. Foi participante habitual de eventos culturais, artísticos e filantrópicos da cidade. Faleceu em 17 de dezembro de 2016.

Fonte: Morgana Daniel