Reflexos da paralisação nacional dos caminhoneiros já estão sendo visíveis na região. Além da escassez de combustíveis, é provável que nos próximos dias alguns alimentos venham a faltar nas prateleiras dos supermercados.

Embora ainda não haja falta de nenhum alimento, o empresário dono das redes de supermercados Abimar, Donizete Custódio reforça a atenção paras os itens mais suscetíveis. “Há uma dificuldade maior com o estoque de frutas e verduras, estamos consumindo o que vem da nossa região, pois o que vem de fora está parado. Outra situação que estamos enfrentando é a falta de carnes, alguns cortes de frango estão entrando em falta e algumas empresas paralisaram até mesmo a produção dos alimentos”, salienta Donizete.

Se a paralização perdurar, outros itens poderão entrar em carência, principalmente aqueles que são consumidos em larga escala. “Até final de semana se continuar assim tenho certeza que haverá falta de alguns alimentos, não só aqui, mas em vários outros supermercados. Os produtos de alto giro, como o açúcar e azeite também entrarão em escassez se a paralização se estender” finaliza Donizete.

Gás de cozinha também falta

Embora algumas empresas ainda tenham o gás de cozinha disponível para a venda, a realidade da maioria dos estabelecimentos no município é completamente oposta. O empresário Ciso Cardoso, proprietário da Ciso Gás relata em entrevista a sua experiência com a venda dos produtos após a paralização. “O gás já está em falta em nossos estoques desde às 10h da manhã de hoje. Entramos em contato com nossos colegas e todos eles também estão sem e por enquanto ainda não há previsão para a normalização do estoque”, finaliza Ciso.