O tempo passa e nada se define. A cada dia a expectativa é de que a situação no Hospital Regional de Araranguá seja normalizada, mas até o momento, ainda não há previsão para isso acontecer. Nesta quarta-feira, 10, a Justiça determinou a desocupação do HRA por parte da SPDM, porém o novo gestor, Instituto IDEAS, só deve assumir depois de entrar em acordo com o SindiSaúde.

Diversas reuniões entre as duas partes já foram realizadas, mas até o momento, trabalhadores e gestora não concordaram com os requisitos. "Estamos negociando com o sindicato mas tudo tem limite: Acabamos de enviar uma contra-proposta, na qual dos quatro itens reivindicadas por eles, aceitamos três na íntegra. Negociar significa ceder. Nós já cedemos tudo que poderíamos", destaca o presidente do Instituto, Roberto H. Benedetti.

Ele encaminhou a proposta enviada ao sindicato para a reportagem. O documento possui quatro tópicos, que dizem: que o Instituto irá recontratar todos os trabalhadores que desejarem permanecer no quadro de funcionários do hospital; que o Sindisaúde não irá ajuizar nenhuma ação coletiva contra o Ideas pedindo sucessão trabalhista; que o Instituto fará todas as contratações sem período de experiência e irá garantir, no período de seis meses, estabilidade provisória a todos os trabalhadores; e que o instituto não irá contratar trabalhadores terceirizados em atividades fim ou firmará contrato de trabalho nas modalidades intermitente, parcial ou autônomos com o objetivo de substituir os atuais empregados.

A reportagem entrou em contato com o diretor do Sindicato, Cleber Cândido, para ouvir a posição dos trabalhadores. Segundo ele, a assembleia desta quarta-feira não deliberou nenhuma definição. "Amanhã, 11, teremos outra rodada de negociações pela manhã e à tarde em uma nova assembleia é que devemos tomar uma decisão", finaliza.