Depois de muitas discussões uma coisa já está definida: com a proposta de mudança na legislação tributária municipal que tramita na Câmara de Vereadores e inclui a volta da cobrança da transição pela balsa do Rio Araranguá, os moradores do Distrito de Hercílio Luz ficarão isentos do pagamento da taxa. Um projeto substitutivo foi protocolado na semana passada com a alteração justificada pela necessidade de contribuir com a arrecadação do município que está prejudicada em razão da crise econômica que assola o país.

A votação do projeto que conta com outras novas regras, está marcada para acontecer nesta terça, 26, às 19 horas, numa sessão extraordinária no plenário da casa e, se aprovado, a partir de janeiro, passarão a valer.

Um estudo elaborado pela administração municipal aponta que em torno de R$700 mil por ano é o custo de manutenção na balsa. Assim como em outros municípios da região que oferecem a travessia através da terceirização do serviço, a hipótese foi descartada nesse primeiro momento. “Cidades como Laguna, por exemplo, cobram valores superiores aos que serão cobrados aqui. Criar esta possibilidade que apresentamos agora, seria garantir preços mais acessíveis”, defendeu o secretário de Administração, Auderi Castro.

App vai controlar o transporte

Na tarde de segunda, 25, foi realizada uma reunião no gabinete do presidente da Câmara, Daniel Viriato Afonso, com a participação do próprio secretário de Administração, o secretário de Governo, Giancarlo Soares de Souza e vereadores. Além de tratar dos detalhes do projeto de lei que será votado, a empresa Octal Sistemas apresentou uma proposta do uso de um aplicativo de celular para a realização do controle do transporte pela balsa e que facilitará a vida dos usuários. A idéia é que seja implantado em breve e sirva de teste até o final do ano, antes das novas regras valerem em caso de aprovação.

Com a implantação do aplicativo, a placa de cada veículo que utiliza a balsa ficará também registrada no sistema da prefeitura, que conseguirá controlar o serviço em diversos aspectos, inclusive, se a sua prestação está sendo eficaz. “Assim como todos os serviços que hoje em dia estão se modernizando, o da balsa não é diferente. Temos que usar a tecnologia a nosso favor. Se este aplicativo funcionar, a administração poderá implantar um dispositivo semelhante no estacionamento rotativo para evitar os inúmeros problemas que tem sido registrados”, avaliou o presidente, Daniel.

Fonte: Morgana Daniel