Criado há mais de 10 anos, por uma lei de autoria do presidente da Câmara de Vereadores de Araranguá, Daniel Viriato Afonso (PP) - para ajudar no desenvolvimento economico do município, gerar emprego e renda, o Parque Industrial, continua sendo uma das maiores preocupações das entidades e poderes envolvidos na sua fiscalização.

Foi nesse sentido que a Câmara Normativa, formada por representantes de entidades e dos poderes Executivo e Legislativo se reuniu nesta quarta, 09, no gabinete do vice-prefeito, Primo Menegalli Júnior (PR). O encontro serviu para debater o resultado da fiscalização nos empreendimentos lá instalados e que foi solicitada no encontro da última reunião realizada em Junho.

Com a presença do próprio presidente do Legislativo, Daniel, o vereador, Marcio Tubinho (PP) – que também integra a Câmara Normativa, o vice-prefeito, Primo Júnior, secretário de Administração, Auderi Castro, o secretário de Planejamento, Luiz Fernando Serrano, do  procurador do município, Dik Robert Daniel, e de técnicos das secretarias, as irregularidades encontradas pelos fiscais foram debatidas. Ao final, decidiram que procedimentos administrativos serão instaurados para apurar tais irregularidades, cobrando dos responsáveis pelos imóveis a devida explicação ou regularização. “A intenção é que o objetivo da criação do Parque Industrial não se perca, e as regras para concessão dos espaços continuem sendo respeitadas”, disse o presidente da Câmara de Vereadores.

Atualmente mais de 30 empresas tem concessão para instalação na área reservada ao Parque Industrial, mas nem todas estão operando. Outros assuntos também foram debatidos na reunião da Câmara Normativa, relacionados a outras empresas que receberam benefícios fiscais para instalação na cidade, e que acabaram não cumprindo com o compromisso assumido. Todas deverão ser autuadas pelo município. O próximo encontro da Câmara Normativa está agendado para a segunda quinzena de Setembro. 

Fonte: Morgana Daniel