Música, muito sabor e animação foram os ingredientes especiais da Paella Beneficente da Casa da Fraternidade. O evento ocorreu no último domingo, 11, e reuniu o público em peso na sede da entidade, no bairro Lagoão.

Além da saborosa refeição preparada pela cheff Renata, a realização contou com apresentações do Grupo de Jovens da entidade e da banda Pó de Café, que participou voluntariamente do evento. Os músicos animaram a Paella com um repertório que foi do Pop ao Reggae. Músicas de Tim Maia, Michael Jackson, Seu Jorge e Daft Punk foram alguns dos hits tocados por Naguel Vieira (violão e voz), Paulo Henrique Freitas (baixo), Edmar Martins (bateria) e Fernando Rai D’Àvila (guitarra).

Quem esteve no local conferiu de perto o artesanato do grupo do projeto Mulheres Solidárias Renascer. De acordo com a integrante Maria Gonçalves Vieira, tudo começou com a realização de um curso no IFSC. Hoje são oito participantes no grupo que se reúne nas quintas-feiras à tarde na Casa da Fraternidade. O trabalho desenvolvido é exposto em eventos como o “Dia +”.

Uma das peças mais bacanas é a bolsa feita com jeans usado, que é todo customizado, e se transforma em um belo acessório. O grupo recebe doações de tecidos para confeccionar os trabalhos.

Oficinas

Além dessa iniciativa, a Casa promove, por meio do Ponto de Cultura – Juventude Luzes do Amanhã, oficina de canto coral, musicalização, balé, violão, informática, reforço, artesanato e arte visuais para 300 crianças. Também há atividades para jovens, como cursos de secretariado, foto e vídeo, além do grupo de valores humanos.

Situação Financeira

De acordo com a presidente, Cátia Hahn, a Casa da Fraternidade promove eventos como a Paella para arrecadar verba para os trabalhos da entidade. Hoje a instituição possui 17 projetos em andamento, mas os recursos que são destinados para essas iniciativas não cobrem todos os gastos.

E as despesas com a manutenção da entidade estão entre as principais da Casa. Gastos com telefone, energia elétrica, água e transporte são frequentes e consomem muito dos recursos financeiros da entidade.

A prefeitura já se comprometeu em repassar dez parcelas de 10 mil reais, mas a Casa ainda precisa de mais recursos para sanar as dívidas e, ao mesmo tempo, conseguir se manter.

Devido às dificuldades financeiras, a instituição teve que reduzir a carga horária de profissionais que trabalham na entidade ou readequar o serviço dos colaboradores frente à atual realidade da Casa.

Colaboração

E além da comunidade em geral poder ajudar a Casa, os empresários também podem fazer sua parte e colaborar com a entidade por meio do Marco Regulatório das Organizações da Sociedade Civil (MROSC): Lei 13.019/2014. O manual contempla os procedimentos entre a administração pública e as organizações da sociedade civil, para orientar os gestores públicos e a OSCs.

A lei vale para as parcerias com OSCs feitas pelo governo federal, estados, municípios e Distrito Federal. Qualquer organização da sociedade civil sem fins lucrativos, independente de possuir qualificação ou titulação, poderá celebrar Termos de Fomento, Termos de Colaboração ou Acordos de Cooperação com a administração pública.

Sobre a entidade

A Instituição Espírita Casa da Fraternidade, fundada em 1987, oferece apoio sociofamiliar e educacional, estimula a promoção da cultura e esporte com realização de oficinas, e realiza eventos de integração envolvendo a comunidade. A Casa funciona de segunda a sexta-feira, das 8 às 17 h, sem fechar ao meio-dia.

Mais informações telefones (48) 3527-0214 e (48) 9 9692-8497, pelo email [email protected] e site www.acasadafraternidade.org.br. Saiba mais sobre a Casa da Fraternidade pelo Facebook (https://www.facebook.com/acasadafraternidade).

Fonte: Texto e fotos: Vanessa Irizaga/Assessoria voluntária (Marco Regulatório)