Desde a última semana, um assunto em particular tem chamado a atenção da população araranguaense: listagens com os nomes de centenas de pessoas que tem créditos trabalhistas para receber da prefeitura Municipal e que somam mais de R$ 35 milhões. Diante dos mais de 500 nomes publicados no Diário Oficial do município, muitas dúvidas surgiram entre a população, por isso, a reportagem da Revista W3 foi esclarecer o assunto.

De acordo com o procurador geral do município, Dick Robert Daniel, estes benefícios são ações trabalhistas movidas em face do município de Araranguá, que após sentença viram requisições de precatórios para a cobrança. O valor total, segundo ele, chega a R$ 35.054.049,68, referente a 513 precatórios, que conforme a emenda constitucional nº 94/2016 deveram ser pagos até 31 de dezembro de 2020, porém a administração Municipal já tenta reverter, na justiça, esta determinação. “Entramos com justificativas para tentar prorrogar o prazo e também com medida judicial para suspender o pagamento”, explica o procurador.

Conforme Dick, o pagamento da dívida não só pode como deve comprometer seriamente o orçamento do município. “Isso inviabilizaria o trabalho normal sem poder atender a folha de pagamento seus funcionários de setores como a saúde, educação e obras, fazendo com que tudo seja paralisado” ressalta.