ESPECIAL ARARANGUÁ

Se até pouco tempo, os jovens pareciam desacreditar da política, de alguns anos pra cá, este cenário vem mudando. Cada vez mais, eles estão envolvidos com causas sociais, lutando por uma sociedade melhor. Nesta linha, surgem novos representantes da juventude na Cidade das Avenidas. Entre eles, está Primo Menegalli Júnior, que aos 33 anos, é o atual vice-prefeito de Araranguá.

Segundo ele, a vida política nunca foi seu principal objetivo. Filho do ex-prefeito, Primo Menegalli, desde pequeno criou até uma espécie de aversão à vida pública. “Na época, por ser mais novo, tinha certo desconforto em ser o filho do prefeito. Uma cidade inteira me enxergava assim e não conseguia lidar muito bem com isso”, destaca.

Porém, a medida que o tempo foi passando, as coisas começaram a mudar e a vida pública deixou de ser algo negativo. “Percebo hoje, que todo o trabalho que ele fez como prefeito, abriu muitas portas. O momento político em que o Brasil passa também foi um grande estímulo pra mim e pra muitos jovens a se interessar pela política. Tudo aconteceu muito rápido, sem eu esperar e nem muito menos planejar”, afirma.

Para ele, a oportunidade de poder representar a população, mas especialmente os jovens, é uma satisfação ainda maior. “Existe uma grande esperança na juventude, o modelo de política antigo já saturou a população brasileira. Recai sobre os jovens a responsabilidade de renovação, e no meu caso essa responsabilidade é dobrada pela associação direta ao meu pai. Existe uma grande expectativa de que eu dê continuidade no trabalho que ele realizou. Claro que não posso fazer o que meu pai fez, até porque ele era prefeito e eu sou vice, ele tinha autoridade do maior cargo do executivo, mas pretendo fazer um trabalho diferenciado”, destaca.

Para os próximos anos de mandato, o vice-prefeito garante muito empenho e dedicação à cidade, especialmente no que se refere ao atendimento à população e captação de recursos para a realização de benfeitorias às comunidades.

[+] Especial Araranguá Veja Mais:

O peixe nosso de cada dia
Indústria que cresce, mas precisa de espaço
Do campo, ainda brota boa parte da economia
A história de Araranguá sob as lentes de Genaro Salvador