Apresentar suas ideias e defender seus projetos para a Cidade das Avenidas nos próximos quatro anos. Foi com estes objetivos que a ACIVA, CDL, Sindilojas, Sindicont e OAB promoveram, na noite da última segunda-feira, um debate temático entre os quatro candidatos à prefeitura de Araranguá: Anísio Premoli, Beto Coan, Chico Merêncio e Mariano Mazzuco.

Conduzido pelo mediador Junior Freitas, o debate contou com quatro blocos. No primeiro, cada candidato teve seu currículo apresentado e teve também a oportunidade de se apresentar aos convidados. Já no segundo e terceiro blocos, os candidatos responderam aos questionamentos elaborados pelos associados das cinco entidades organizadoras do evento.

Com o auditório principal da entidade lotado, os candidatos responderam aos questionamentos enviados pelos associados da ACIVA, CDL, Sindilojas, Sindicont e OAB. Entre as principais perguntas estiveram questões relacionadas ao desenvolvimento econômico, fomento ao empreendedorismo, mobilidade urbana, segurança pública, inovação e Parque Industrial.

O primeiro tema abordado foi o Calçadão de Araranguá, que há 25 anos carece de investimentos e melhorias. Pela ordem, o primeiro a responder foi o candidato Beto Coan. Segundo ele, seu projeto é expandir o Calçadão. “Pensamos em estendê-lo desde a rodoviária até a avenida XV de Novembro. Ele precisa ser revitalizado e deve ter mobilidade, dinamismo centro cidade, mantendo trânsito livre”.

Já Mariano Mazzuco destacou que a revitalização precisa ser feita não apenas no Calçadão, mas em todo o Centro. “Este é um fator de desenvolvimento do comércio, pois com uma boa estrutura, atrairíamos consumidores de outras cidades para comprar aqui. Entendemos que seria prudente fazer um concurso de projetos, com parceria das entidades, para escolher o melhor projeto a ser implantado”.

Para o candidato Chico Merêncio, o ideal seria colocar em prática o projeto já aprovado pela Associação do Calçadão. “Já temos um projeto pronto, que está em análise junto Badesc, de mais ou menos R$ 1 milhão e meio, que prevê a realização de diversas melhorias apontadas pela Câmara de Dirigentes Lojistas e demais entidades ligadas ao comércio e indústria”.

Já para Anísio Premoli, antes de levantar alguma hipótese, é preciso organizar o orçamento da prefeitura. “O primeiro passo é reduzir a folha pagamento da administração, pois do jeito que está, não é possível fazer muita coisa. As entidades estão cansadas de ouvir promessas, precisamos, antes de tudo, buscar recursos para, posteriormente, colocar em prática as reivindicações das entidades”.

O segundo tema da noite foi Mobilidade Urbana. O mediador, Junior Freitas, lembrou da mobilização das entidades na tentativa de solucionar o assunto, quando um projeto da empresa Labtrans chegou a ser apresentado para as autoridades do município. Porém, até o momento, nenhum avanço foi registrado.

O candidato Beto Coan destacou que este é um problema muito sério. “Os problemas que enfrentamos hoje é resultado da falta de planejamento de anos anteriores. Entendo que não podemos dispensar o apoio de uma empresa especializada. Sobre mobilidade ainda, acredito que é importante revitalizar o terminal urbano e criar novas rotas para o transporte público coletivo”.

Para Mariano Mazzuco é imprescindível contar com a colaboração da empresa Labtrans. “Precisamos de seu conhecimento técnico para ajudar a solucionar este problema em nosso município. Uma iniciativa interessante seria a desapropriação de terrenos ao longo da avenida Capitão Pedro Fernandes, para sua extensão”.

Chico Merêncio destacou sua proposta em expandir o estacionamento rotativo, além de buscar um transporte coletivo de qualidade. “Precisamos de novos abrigos de ônibus, além disso, temos que buscar um estudo junto a empresas especializadas, sobre as adequações necessárias ao trânsito de Araranguá. Destaco ainda a importância das ciclovias e nossa proposta em criar uma delas na Rota Universitária”.

O candidato Anísio Premoli falou da necessidade de transformar a rua Rui Barbosa, a chamada Beira-Rio em mão única, com implantação de ciclovia. “Precisamos de um estudo sobre nossa mobildiade urbana e as ações que podem ser implantadas. Além disso, vamos trabalhar pela criação de um porto seco e também de um anel viário. Outra ação que consideramos importante é a implantação da Guarda Municipal para organização de nosso trânsito”.

Outro tema bastante relevante da noite foi o Hospital Regional de Araranguá, uma luta bastante antiga das entidades, especialmente da ACIVA. Os candidatos foram questionados sobre a municipalização do HRA.

Nesse quesito, todos os candidatos concordaram que a municipalização só pode ser efetivada quando e, se houver, compromisso do governo do estado com relação ao repasse do recurso público para administração do hospital.

No segundo bloco, os presidentes das entidades tiveram a oportunidade de questionar os candidatos sobre temas determinados. O presidente da ACIVA, Kleber Frigo, levantou a importância do engajamento da administração pública com a implantação do curso de Medicina no campus da UFSC de Araranguá. Já o presidente da OAB e do Fórum Municipal de Segurança Pública, Laércio Machado Júnior, quis saber dos possíveis projetos a serem implantados para combater a criminalidade e promover Segurança Pública na Cidade das Avenidas.

Já a presidente do Sindilojas, Jadna Farias, baseou seu questionamento sobre a contribuição sindical. Em nome dos contabilistas, a presidente do Sindicont, Gabriele Gil Gomes, destacou a importância de implantação de um projeto mais eficaz para registrar novas empresas. O último presidente a fazer seu questionamento foi Clézio Manoel Mota, que representando a CDL, destacou a relevância do Natal Verão e perguntou sobre a possibilidade de criação de novas festas populares na Cidade das Avenidas.

O último bloco foi destinado às considerações finais de cada candidato. Conforme acordado previamente com todas as coordenações de campanhas, a ata confeccionada ao final do debate será registrada em cartório, assumindo, dessa forma, o compromisso público com a sociedade araranguaense sobre os assuntos abordados.

Na avaliação dos presidentes das entidades organizadoras, o debate atingiu suas expectativas. “Nosso objetivo era justamente conhecer as propostas de cada candidato sobre os assuntos relevantes não apenas às entidades de classe, mas a toda sociedade araranguaense”.

Fonte: Maiara Possamai