O turismo e a gastronomia selaram uma relação íntima, quando o hábito de viajar incorporou-se no período de descanso. É nas férias que um intenso fluxo de turistas, circulando de um lado a outro movimenta a economia catarinense lotando hotéis, pousadas e restaurantes.

E este ir e vir de turistas que todos os anos procuram a região em busca de lazer e diversão, despertou a atenção de um grupo de empreendedores do turismo ligado ao setor gastronômico de Araranguá. Antenados, estes empresários sabem que a gastronomia ganhou lugar, sobretudo ao atrair um segmento de viajantes interessados em estimular seus sentidos através da experimentação da cozinha do outro. É o que chamamos de turismo gastronômico.

Dispostos a tornar o município referência no setor e atrair um número ainda mais significativo de turistas pela boca, o grupo que reúne donos de 10 restaurantes voltados ao turismo em Araranguá, estão trabalhando duro para mudar a realidade atual. Eles fazem parte do projeto de valorização e apoio ao turismo gastronômico, desenvolvido pela prefeitura de Araranguá, através da Subsecretaria de Turismo.

De acordo com a diretora Daniele Leite, o projeto que já está acontecendo, prevê palestras, oficinas de capacitação que incluem aula práticas e ainda uma mostra que vai expor todos os saborosos pratos que estão sendo cuidadosamente preparados para enriquecer o cardápio destes restaurantes. “Depois disso tudo, ainda iremos formatar e divulgar um roteiro gastronômico, que vai propiciar fortalecer a nossa economia e potencializar o nosso turismo. Esse roteiro diversificado vai valorizar nossos restaurantes e a nossa culinária típica, além de gerar emprego e renda,” explicou.

Enriquecendo o cardápio

Depois de acumular 12 anos de experiência na cozinha internacional, em Portugal,  a Cheff Michele Leopoldino voltou à terra natal para abrir o próprio negócio. A aconchegante cafeteria localizada no Centro de Araranguá é palco para um festival de criações que dão água na boca.

São dezenas de doces e salgados preparados de forma artesanal e com ingredientes que não raras vezes Michele colhe no quintal de casa. “Preservar o verdadeiro sabor dos pratos tradicionais e dar um gostinho ainda mais especial. Assim tenho pautado minhas receitas que são feitas com muito carinho, o ingrediente principal,” revela a empreendedora que levou para a palestra algumas das delícias produzidas por ela. Quiche de tomate seco com rúcula e manjericão, empada de carne de panela, quindim, doce de nozes, empada de frango e rosquinha de polvilho foi apenas uma breve mostra do que ela já produz, mas espera ampliar o leque de opções a partir do curso. “Trouxe para compartilhar experiências e ideias. Esse intercambio é muito positivo,” explicou a comerciante que assistiu atenta à palestra do Chef Fabiano Gregório, que ministrou a  oficina gastronômica sobre a valorização da cultura gastronômica catarinense.

O casal de empresários Sonia Daminelli e Fabio Casagrande também são donos de restaurante especializado em frutos do mar há mais de três anos e veio em busca de conhecimento para ampliar o cardápio. “Durante a oficina aprendemos o preparo de pratos com peixes e frutos do mar que ainda não utilizávamos mas que vamos incorporar ao cardápio. Conhecemos novidades nunca antes vistas como a feijoada de frutos do mar e outros à base de ingredientes como o molusco Vieira que não são muito consumidos aqui na região. Precisamos inovar sempre,” explica o casal que estava otimista na cozinha.

Tendências da nova gastronomia:

Uso de produtos locais que agregam a identidade gastronômica de cada região

Uso de produtos sazonais, retirar da natureza o que ela tem a oferecer na época

Promover no cardápio informações de onde é produzido e por quem