A pressão popular acaba de derrubar o aumento salarial dos vereadores. A notícias veio em forma de comunicado, emitido oficialmente pela assessoria de imprensa do legislativo.

O assunto que foi divulgado  com estrondo pela Revista W3 e ganhou ainda mais força após manifestações e até petição pública na internet repercutiu nacionalmente. Cedendo à pressão popular, a Câmara resolveu no fim da tarde de hoje, que não vai aumentar os subsídios para o próximo mandato. Veja o que diz a nota na íntegra:

NOTA DA CÂMARA: “ Esta nota vem esclarecer algumas questões levantadas nos últimos dias pela sociedade, sobretudo por meio de manifestações feitas na imprensa e nas redes sociais. Nós, da Câmara Municipal de Araranguá, consideramos legítima qualquer mobilização popular e apoiamos tais movimentos, porque vemos neles a expressão máxima dos belos ideais democráticos. O debate e a participação da população nas questões do poder público municipal são saudáveis e imprescindíveis para a democracia e a divergência de opiniões qualifica as conclusões. Sobre a aprovação do projeto, que autorizava aumento do subsídio dos vereadores para o próximo mandato (2017-2020), à Câmara Municipal considerou procedente o apelo popular e resolveu que não vai adotar esta medida. Após o projeto que tratava sobre o aumento retornar à Câmara de Vereadores, os integrantes da Mesa Diretora da Casa tiveram ciência que o prefeito municipal não iria sancionar à lei, então seguindo o trâmite legal, o Legislativo poderia promulgar a lei. Esta questão foi analisada e debatida, chegando-se a conclusão que o projeto não será promulgado e, em consequência disso fica arquivado. Ou seja, os vereadores eleitos para a próxima legislatura (2017-2020) continuarão recebendo a mesma remuneração dos atuais legisladores, permanecendo assim com os salários atuais sem reajuste.

Araranguá, 4 de março de 2016. Atenciosamente ASSESSORIA DE IMPRENSA